É difícil ser vegetariano? // Is it hard to be a vegetarian?

Muitos fazem esta pergunta, uns por curiosidade, outros porque estão a considerar a sua transição, se é difícil ser vegetariano. Neste post vou escrever como foi comigo e o que acho no geral o quão difícil (ou não) é tornar-se ou ser vegetariano 🙂 

Many wonder, some out of curiosity, others because they are considering their transition, if it is hard to be a vegetarian. In this post I’m going to write how it was to me and what I think in general how difficult (or not) it is to become or be a vegetarian 🙂

A coisa que acho mais importante, seja que decisão for, é o motivo que leva a essa decisão. No caso de uma pessoa se tornar vegetariana existem dois grandes fatores: a saúde e a crueldade animal. 

The thing I find most important, regardless of the decision, is the reason that leads to that decision. In the case of a person becoming a vegetarian there are two major factors: health and animal cruelty.

Admito que, embora sempre tenha admirado quem fosse vegetariano, o meu fator foi a saúde. Como já foi explicado (ver sobre mim), estava mesmo muito mal devido ao avanço (e descontrolo) da fibromialgia. Comecei por comer apenas peixe e moluscos (esta fase durou um ano) e finalmente deixei de consumir animais e produtos lácteos. Continuei a consumir ovos (que são de galinhas felizes e biológicos, dos meus avós) até finalmente me ter tornado vegetariana estrita e vegan (ainda a aprender) 🙂

I admit that, although I have always admired anyone who was a vegetarian, my factor was health. As already explained (see about me), it was really very bad due to the advancement (and lack of control) of fibromyalgia. I started by eating only fish and molluscs (this phase lasted a year) and finally, I stopped consuming animals and dairy products. I continued to consume eggs (which are biological and from happy chickens from my grandparents) until I finally became a strict vegetarian and vegan (still learning) 🙂

Quanto ao processo de transição, se foi difícil? Não. Normalmente precisamos de um click, de algo que nos faça abrir os olhos. No meu caso (e de muita gente) foram documentários como Cowspiracy, Before the Flood e Food Choices. Para ser sincera, não consigo ver um desses documentários sem ficar enjoada e a chorar (ou quase!). Para mim foi difícil saber que certas coisas aconteciam para se comer, independentemente do produto animal, e não me sentir minimamente incomodada. Se isto não é algo essencial, se existem outras opções, porquê continuar com isto? Porquê suportar estas indústrias? E se não quiserem ir pelo sofrimento animal, estamos todos minimamente informados da quantidade de recursos (água, terrenos, alimento) que são necessários para se comer um bife. Todos sabemos que isto vai acabar mal, não para nós, mas para os que ficam, para as gerações futuras. 

As for the transition process, was it difficult? No. Usually we need a click, something that makes us open our eyes. In my case (and for a lot of people) were documentaries like Cowspiracy, Before the Flood and Food Choices. To be honest, I can’t see one of these documentaries without getting sick and crying (or almost!). It was difficult for me to know that certain things happened to eat, regardless of the animal product, and don’t feel at all bad. If this is not essential, if there are other options, why continue with this? Why support these industries? And if you don’t want to talk about animal suffering, we are all minimally informed of the amount of resources (water, land, food) that are needed for you to eat a steak. We all know that this will end badly, not for us, but for those who stay, for  the future generations.

Por isso, a partir do momento em que se sabem as coisas foi-me bastante fácil fazer um click e olhar para as coisas de maneira diferente. Já não tenho nenhum desejo de comer seja que animal for. Se é assim para todos? Não. Há pessoas que ainda não processaram a informação que existe ou que se recusam sequer a pensar nisso. Sem críticas! É preciso ter coragem e força de vontade para se dar um salto destes. É também preciso ter paciência para aprender imensas coisas novas, de pesquisar informação necessária, para se fazer uma alimentação saudável. Mas sabem uma coisa? Compensa de todas as maneiras. Dá-se valor à vida no geral, sentimo-nos mais leves, com mais energia, existem alimentos maravilhosos e cheios de sabor que substituem (e alguns até ultrapassam as capacidades nutritivas da tão famosa carne) e aprende-se a dar valor ao sabor e à simplicidade do que a Natureza nos dá: sem plásticos, sem molhos, sem processados. A Natureza sabe o que faz, acreditem 🙂

So from the moment you know things, it was quite easy for me to click and look at things differently. I no longer have any desire to eat whatever animal it is. If it is like this for all? No. There are people who have not yet processed the information that exists or who even refuse to think about it. No judging! It takes courage and willpower to make a change like this. It also takes patience to learn a lot of new things, to research the information needed to make a healthy diet. But you know? Compensates in every way. Life is valued in general, we feel lighter, more energetic, there are wonderful and flavorful foods that replace (and some even exceed the nutritional capacities of the famous meat) and learn to value the taste and the simplicity of what Nature gives us: no plastics, no sauces, no processed food/ingredients. Nature knows what it does, believe me 🙂

Não tenham pressa, mais vale dar pequenos passos de cada vez do que não fazer nada de todo. 

Espero que tenham gostado, qualquer coisa é so entrar em contacto por mim via página do facebook , através do instagram  ou através do blog 🙂

Um beijinho, Sara. 

Do not rush, it is better to take small steps at a time than doing nothing at all.

I hope you have enjoyed it, anything you want to say, just contact me via facebook page, through instagram or through the blog 🙂

Kiss, Sara.

cb76e027d4b65020a926bd8a58df9a45

Advertisements

16 thoughts on “É difícil ser vegetariano? // Is it hard to be a vegetarian?

  1. A melhor decisão da minha vida foi tornar-me vegetariana, a segunda e terceira foi ter conhecido o meu namorado que já era vegetariano e o nosso filho também o irá ser (se ele quiser óbvio).
    Tornei-me vegetariana exclusivamente por causa dos animais e de seguida a saúde (porque eu antes só comia porcaria como digo era uma autentica “americana”) e foi de um dia para o outro no inicio do ano de 2015 e até hoje sinto-me muito melhor, mais feliz e acima de tudo sem remorsos 😀
    Acho que o mais chato são as pessoas pensarem que comemos apenas alfaces xD

    Beijinhos

    Liked by 1 person

  2. Em cada post conheço-te um pouco mais! 🙂
    Vou ser sincero, sou grande amante de uma boa bifalhada mas admito que há a necessidade de reduzir no consumo da carne e estou a tratar disso.

    Sei que há alternativas bastante mais saudáveis mas é o sabor que me mantém cativo.

    Em suma, é sempre bom saber um pouco mais sobre o vegetarianismo! 🙂

    Liked by 1 person

  3. Eu adoro animais de coração mesmo. No entanto para mim acho que é super difícil conseguir virar vegetariana. Conhecendo me como me conheço. É claro que nada é impossível mas…..

    Liked by 1 person

  4. Tenho todo o respeito por vegetarianos e vegans e gostaria de um dia fazer essa mudança mas ainda existe muita coisa que preciso de abdicar e não sei se estou preparada para tal!

    Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s